quinta-feira, maio 29, 2008

há mar amar até o fim

terça-feira, maio 20, 2008

dois patinhos na lagoa

Meu 22º aniversário chegando e com ele o sentimento/certeza de que mais uma vez eu vou me decepcionar.
Acho que eu ouvi demais xuxa quando criança e aquela música ficou no meu subconsciente : "hoje é o SEU dia! que dia mais feliz!"
É o dia em que eu me dou o direito de ser egoísta, de querer todas atenções pra mim. Que eu fico esperando que todos meus amigos se lembrem de mim e me digam coisas legais. Que eu ganhe presentes que eu sempre quis e nem sabia. Eu espero surpresas, que nunca vão acontecer, porque eu fico esperando, então não seriam surpresas!
É difícil admitir esse meu lado egocêntrico, mas fiz isto com o intuito de não me sentir sozinha nisso. Porque eu já ouvi de várias pessoas "eu não gosto de fazer aniversário", e as desculpas são várias: é ruim envelhecer, receber "parabéns" por estar vivo, cinismo de algumas pessoas ao nos felicitarem, etc. Mas não sei se acredito... Desconfio que pelo menos 80% destas apenas perceberam que o dia não é delas. Se decepcionaram com a ausência de um amigo querido numa festinha, com o esquecimento de alguém, com a indiferença de outros... Esperaram um presente e não ganharam nada. Queriam uma declaração e receberam um "parabéns" seco.
Me sinto aquela guriazinha que quando tava na 3ª série chorou quando viu os colegas populares rasgando o convite pra festinha dela no recreio.
Talvez no meu 44º aniversário eu já tenha aprendido que o que importa não é um dia especial. Que amigo não é aquele que lembra de mim no dia do meu aniversário, e sim que lembra de mim pra conversar, pra rir, pra chorar, seja que dia for. Que tem muito mais valor um presente sem data. E que não tem presente maior do que o amor de alguém.

segunda-feira, maio 19, 2008

felicidade das coisas

Estou entrando em uma nova fase. Depois de ter colocado banda larga, ganhei uma máquina de lavar roupas. E pra melhorar ainda mais minha qualidade de vida, meu amigo guilherme consertou o kooler cooler coler CUler kuler (não sei como se escreve :P) que parecia que ia levantar vôo dentro do computador. Às vezes eu achava meio fútil aqueles papos de que a pessoa precisa comprar tal coisa pra ser feliz. Agora eu entendo. E pra minha felicidades (das coisas) ser completa, eu só preciso de um sofá e uma cama de casal. Mas talvez quando eu tiver a cama de casal, eu sinta mais falta do amor do meu lado. Nunca to satisfeita...

quarta-feira, maio 14, 2008

frase de impacto

noite passada eu pensei em orkutcídio.