terça-feira, fevereiro 23, 2010

Tranquila

Quando eu disse que queria O mar, ninguém percebeu que era substantivo feminino, verbo transitivo.
Hoje, sinceramente, não tenho a menor pressa.
Porque tudo o que eu quero agora é tornar a minha vida mais amável.
Não que eu não goste da minha vida, mas eu sei que tem muitas coisas que eu posso fazer para tornar ela melhor ainda! Coisas que dependem só de mim. A minha felicidade neste momento depende só de mim. Só. E isto me deixa tranquila... ^^
Até logo, mar... Preciso voltar para capital!

#nowplaying - Tranquilo, Kassin+2
http://listen.grooveshark.com/#/s/Tranquilo/2nOUZk

domingo, fevereiro 07, 2010

???

Uma caixa de bombom com um furo onde se via uns envelopes, uma arma e se ouvia gente lá dentro. Bandidos se escondiam dentro dela para a qualquer momento atacar. E a caixa estava dentro de casa.
Até que alguém teve a coragem de pegar a caixa e colocá-la no pátio da frente. Mas ninguém deixou eu levá-la até a delegacia de polícia que fica praticamente na frente de casa. E eu gritava: "E se uma bala perdida acerta o Rafa??!!!"

A caixa aparece no meio de um campo onde só o que se vê na volta é campo. E de repente sai da caixa... o Bart Simpson! Seguido pelo Homer e depois pelo Garfield. E não paravam de sair da caixa Barts, Homers e Garfields, sempre nessa ordem. E um se colocava ao lado do outro em uma fila diagonal que não acabava.
Até que surgem campinhos de futebol. Um para cada trio. E quando eles começam a jogar, observo outra jogadora: uma idosa de vestido rosa e cega. Todos jogam muito mal.
Então alguém comenta comigo (talvez o psiquiatra que antes disso tinha dado em cima de mim) que devemos ensinar a velha cega a jogar, pois ela tem mais potencial. Dito e feito: ela marca um golaço!

E eu acordo.
Noite passada eu tive o sonho mais bizarro da minha vida